5_capa_Pasalix_Janeiro.png

Para algumas pessoas, manter a organização é um desafio e tanto. Seja no ambiente em que vive, na agenda, nos compromissos, nas relações, a bagunça impera, e isso revela muito sobre cada um.

As consequências dessa bagunça afetam a vida e o dia a dia, e coisas como deixar de pagar contas antes do vencimento ou perder sempre as chaves de casa, é um alerta, segundo especialistas. Isso pode indicar um ciclo vicioso relacionado a transtornos mentais como depressão e ansiedade, além de problemas respiratórios, doenças cardiovasculares e obesidade, O contrário, em compensação, favorece o autoconhecimento e combate até o estresse!

Ambientes desorganizados geram estresse por conterem uma grande quantidade de informações que confundem o cérebro e atrapalham o raciocínio lógico. Além disso, atuam como um lembrete visual constante de que o trabalho está inacabado. O estresse perene, ainda que sutil, potencializa a hipertensão, aumenta a taxa de mau colesterol, favorece o tabagismo, o diabetes e o sedentarismo, fatores de risco para doenças cardíacas.

Casos crônicos de desorganização em casa refletem estados de desorganização mental e podem sinalizar, ou até mesmo causar, a depressão. Ou seja, pode até revelar uma patologia, uma doença crônica.

Acumuladores de coisas dão evidência da relação entre transtornos mentais e ambientes desordenado, já que se esconde um transtorno ou distúrbio psicológico que precisa ser tratado, com raízes profundas e antigas. Um dos tratamentos que podem ser usados nesses casos é a Programação Neurolinguística, que ajuda as pessoas a mudarem esses padrões de comportamentos.

0 comments

Responder