4_capa_Pasalix_Janeiro.png

Com o tempo e a frequência, os picos de estresse intensos funcionam como bombas em nosso organismo que podem gerar quadros depressivos, síndrome do pânico e ansiedade. Além de afetar a saúde mental, o estresse também pode causar problemas físicos; e o coração pode ser um dos principais afetados.

Uma pesquisa publicada no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism mediu os níveis de cortisol, chamado de hormônio do estresse, ao longo de um período de 24 horas em amostras de urina de 861 pessoas acima de 65 anos de idade. A avaliação foi feita durante seis anos de estudo.

No período, 183 participantes do estudo morreram. Os altos níveis de cortisol foram observados nos óbitos decorrentes de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral (AVC).

Ou seja, quando divididos em três grupos com base nos níveis do hormônio do estresse, o grupo dos participantes com os maiores níveis de cortisol apresentou um risco cinco vezes maior de morrer por doenças cardiovasculares, concluiu a pesquisa.

Isso significa que alta liberação de hormônios em situações estressantes perturbam o organismo, provocando reações que englobam desde o aumento da pressão arterial a um fulminante ataque cardíaco.

Recomendados

5 novos tipos de insônia segundo estudo científico
Leia mais...
O uso de smartphones  aumenta a ansiedade
Leia mais...
Caminhar reprograma o cérebro, cura dores e alivia o estresse
Leia mais...

0 comments

Responder