Nem mesmo as crianças estão livres do mal da ansiedade, muito pelo contrário, muitas vezes por não terem total controle dos sentimentos e não saberem como lidar em certas situações, são ainda mais vítimas dos sintomas e aflições que esse transtorno proporciona.

A ansiedade é uma reação natural do ser humano, com função biológica de proteção, alerta e resposta imediata a uma ameaça. A ansiedade quando transtorno, libera hormônios de estresse e adrenalina, e mesmo quando não há perigo, os sintomas de taquicardia, respiração ofegante, sudorese invadem o corpo do indivíduo de forma irracional.

Com as crianças não é diferente, porém, a infância é um período em que enfrentamos inúmeras situações novas, sentimentos desconhecidos e desafios, fazendo com que o medo do fracasso e novidades da vida esteja sempre presente.

Uma dose de ansiedade na infância é normal e pode ser motivadora, porém, em excesso, ela pode ser paralisante, interferindo na capacidade de aprender e fazer coisas importantes para o desenvolvimento. Por conta disso, os pais, professores e familiares devem estar sempre atentos às reações, medos e dificuldades e necessidades de seus filhos.

As crianças ansiosas, em geral, podem apresentar grande preocupação, problemas para dormir, inquietação, dificuldades de concentração e irritabilidade, atrapalhando o cumprimento das obrigações do dia a dia e da escola.

As crianças também possuem naturalmente mais dificuldade em reconhecer seus próprios sentimentos, e por isso, podem evitar falar o que sentem e acabar se isolando. A ajuda de um profissional é indispensável para que desde cedo se aprenda a lidar com o transtorno.

Para o tratamento, os profissionais recorrem a uma terapia chamada Cognitivo-comportamental (TCC) em que as crianças experimentam novas maneirar de pensar, agir e se expressar, e assim aprender a lidar com o estresse.

Aos pais cabe à responsabilidade de reconhecer o problema em seu filho, sem julgamentos, mas com apoio. Ser presente, perguntar sobre a intimidade e sentimentos da criança sobre determinada situação, e principalmente, saber a hora de buscar ajuda profissional.

Aprenda a fazer um pote da calma para lidar com a ansiedade das crianças

 

 

0 comments

Responder