22_capa_pasalix_pi.png

Uma linha muito próxima associa os hábitos alimentares compulsivos com a ansiedade. E da mesma forma que essa compulsão pode ser consequência da ansiedade, ela ainda pode piorar a situação, prejudicando a saúde física e mental.

Todo mundo, vez ou outra, abusa da quantidade e da má qualidade dos alimentos, porém, quando esse comportamento se repete com frequência, ou quando ele está associado diretamente a algum evento ou circunstância que tenha causado um desconforto emocional, é hora de acender um alerta.

Esses podem ser um sintoma de Transtorno de Compulsão Alimentar (TCA), que se classifica como a situação em que a pessoa come exageradamente mesmo sem estar faminto ou episódios em que se passa mal de tanto comer.

É muito comum que quem sofre de compulsão, também sofra de depressão, ansiedade e outros transtornos psíquicos. Em geral, são pessoas com baixa tolerância à frustração, dificuldade em lidar com perdas e mudanças ao longo da vida, baixa autoestima ou ainda dificuldade em lidar com distintas emoções.

Além de comer muito, a pessoa apresenta ainda grande angústia por não conseguir controlar a sua alimentação, além de sentimento de culpa, arrependimento e fracasso por perder o controle.

A prevalência média na população geral é cerca de 1,5%, e entre indivíduos obesos é cerca de 8%. Entre quem está passando por tratamento para perda de peso esta prevalência está em torno de 30%. No caso da obesidade mórbida, pode chegar a 50%.

Muitos profissionais podem ajudar no tratamento da TCA, entre psicólogos, nutricionistas, endocrinologistas, mas é muito importante saber que dietas radicais e altamente restritivas não são indicadas para o comedor compulsivo. A regra é estabelecer uma reeducação alimentar.

0 comments

Responder