Autor: Pasalix® _ Pasalix®Pi

Roer unha pode ser considerado um vício? Sim, se considerarmos o quanto é difícil abandonar esse hábito! Estudos apontam que aproximadamente 30% da população mundial têm o hábito de roer unhas, o que tende a não ser muito bem aceito socialmente e/ou esteticamente.

Uma das hipóteses para adoção desse hábito é de que haja um forte componente genético, já que 1/3 dos familiares das pessoas que roem unhas também o fazem. Este hábito é, inclusive, muito comum entre gêmeos. Mas não há, ainda, nenhuma comprovação científica a este respeito.

Essa também pode ser uma manifestação de ansiedade, medo, insegurança, fome, timidez ou tédio. Muitos começam a roer as unhas quando estão concentrados em uma atividade e/ou quando tem que realizar uma tarefa difícil. Há quem diga que o hábito de roer as unhas tem efeito relaxante e, portanto, serve para descarregar tensões.

Um estudo recente publicado em uma importante revista de psiquiatria apontou que as pessoas que possuem esse hábito têm uma personalidade perfeccionista. Porém ainda são necessários mais estudos para entender as razões pelas quais as pessoas roem as próprias unhas e muitas vezes arrancam as cutículas ou a pele ao redor das unhas com os dentes.

ALERTA DE GATILHO

Setembro amarelo já acabou, mas é sempre bom ressaltar a importância da prevenção ao suicídio. Segundo especialistas, os distúrbios psicológicos e psiquiátricos devem ser tratados nos primeiros sinais, como nervosismo, ansiedade, e pessoas com sintomas psicóticos e alucinações.