A pandemia trouxe muitas transformações no modo de vida das pessoas, e o isolamento foi um dos sacrifícios necessários para conter o avanço do COVID-19. Passados meses nessa situação, a população começa a sofrer as consequências do período.

O aumento nos níveis de ansiedade e outros distúrbios mentais são algumas dessas consequências, que infelizmente afetam não somente os adultos, como principalmente jovens e crianças nesse novo cenário.

Em geral, os adultos percebem a ansiedade quando há uma mudança do padrão do sono. Já nos jovens e crianças, esses sinais podem estar associados a alguma mudança de hábito ou comportamento. Algumas alterações alimentares também são notadas.

O desconforto e estresse emocional são causados pela mudança brusca no modo de viver e se relacionar, já que o confinamento prejudica o contato com o mundo a ser descoberto e prejudica a convivência com os grupos para construção da própria identidade.

O cenário de incerteza também é desolador, já que ninguém tem respostas concretas. Jovens e crianças tendem a se sentir mais inseguros e ansiosos ao absorver dos pais toda a inquietação desses dias de indefinição podendo, assim, manifestar sintomas psicológicos como: solidão, angústia, exaustão, irritabilidade, tédio, raiva e sensação de abandono. Além da possibilidade de, também, agravar doenças mentais preexistentes.

0 comments

Responder